Volnei Matte

el

DISEÑO GRÁFICO // Brasil

Facebook // Flickr

¿Por qué elegiste el diseño como una carrera en tu vida?
Na verdade nunca pensei muito sobre isso, aconteceu naturalmente… Sempre desenhei, desde criança, inclusive letras. Minha família tinha uma marcenaria, então desenhava e construía meus brinquedos, principalmente aviões, barcos, espadas, e Transformers… Comecei a trabalhar muito cedo numa serigrafia, depois em uma Gráfica, que foi uma das maiores experiências profissionais da minha vida, na qual passei por todos os processos relacionados às artes gráficas, desde impressão tipográfica, offset, leiautes manuais e fotomecânica. Na sequência ingressei como aluno no curso de Desenho Industrial na Universidade Federal de Santa Maria, onde hoje sou professor. Durante esse tempo nunca pensei em ter outra profissão em minha vida.

¿En qué medida tu crees que ser un diseñador latinoamericano te distingue y destaca de otros diseñadores en el mundo?
Acredito que com a facilidade de comunicação atual, a linguagem dos produtos tende a se mesclar em nível mundial, às vezes é difícil reconhecer uma identidade, mesmo que se identifiquem características locais. Talvez, o que se pode destacar tem mais relação com o processo de desenvolvimento dos trabalhos. No Brasil, os designers precisam contornar algumas deficiências e   pensar criativamente, encontrando soluções diferenciadas. O ideal é que tivéssemos uma tradição artística e tecnológica como nos países da Europa, por exemplo. Contudo, isso também nos permite explorar a linguagem de uma maneira um pouco mais livre, menos ortodoxa. No cenário tipográfico e caligráfico, a América Latina vem se destacando mundialmente como uma força reconhecida. Existe uma geração que correu muito atrás do tempo perdido, que estudou, se dedicou e conseguiu se projetar com muito êxito. Podemos ver profissionais de destaque em praticamente todos os países da América Latina. Mas isso não vem apenas da criatividade, vem principalmente com muito estudo, com muita dedicação à prática, e a fazer efetivamente design.

¿Cómo ves el diseño en tu país?
No Brasil o design vem se consolidando aos poucos, sendo ainda uma área difícil de atuar profissionalmente. O campo acadêmico está muito limitado à pesquisa, que fica, frequentemente, dentro desse mesmo contexto, não saindo muito da universidade. No contexto profissional, existem muitos profissionais que se destacam, porém o mercado ainda não entendeu (provavelmente por culpa da academia e dos próprios profissionais) as possibilidades nas quais o design pode contribuir. Mas não existe somente esse cenário conturbado. Também se observa um crescimento da qualidade dos trabalhos de uma maneira geral, inclusive nos trabalhos de estudantes. Acredito que existem, de forma geral, dois tipos de profissionais, de um lado aqueles que se dedicam apenas ao básico, sem pesquisar ou experimentar muito. Mas também existem os profissionais que estão sempre pesquisando, buscando soluções novas, que realmente se dedicam ao seu crescimento, e quando isso acontece, é notável. Esses realmente conseguem se estabelecer e viver mais confortavelmente de sua profissão.

¿Cuál es tu fórmula íntima e ideal de trabajo para ser más efectivo al momento de diseñar?
Eu sempre penso que existem dois tipos de trabalho. O primeiro são aqueles que precisamos resolver de imediato, às vezes com pouco prazo e sem muito tempo para experimentações e pesquisa. É uma realidade, não existe nada de errado com isso e não significa que o trabalho será inferior. Nesse caso a fórmula de trabalho (se posso dizer assim) é mais voltada a objetividade, a cumprir as etapas, prazos, obter os resultados adequados, com bastante foco e energia em chegar às soluções necessárias. O outro tipo de trabalho é o projeto a longo prazo, que envolve planejamento e imersão muito maiores. Esse realmente é o projeto mais envolvente que te traz motivação profissional e pessoal. Nesse caso é necessário principalmente amadurecimento, pois deve existir tempo para refletir, pensar, testar e refazer, sempre num ciclo contínuo de pesquisa, análise, geração e validação. A minha fórmula íntima é essa, refinar e amadurecer, chegar ao final do projeto satisfeito com o resultado e seguro das escolhas, independente de quantas vezes tenha que ser modificado. Mas, para isso acontecer, é necessário que se tenha ênfase na expressão gráfica bi e tridimensional. Não será por meio de discussões que se chegará a um resultado, mas, sim, desenhando e modelando.

¿Cuáles son los errores más comunes que cometen algunos diseñadores al momento de encarar un proyecto de diseño?
Complicado de dizer sem fazer generalizações, mas vou citar alguns que vejo mais durante a minha atuação acadêmica. O primeiro seria a falta de pesquisa, análise e testes aprofundados. Também, o equívoco em focar a energia em discutir, conceituar, pensar demais em vez de desenhar e de produzir, pois aí teriam sobre o que discutir. De certa forma os estudantes deixam a melhor parte do trabalho para o final do processo e não conseguem se dedicar o necessário para obter resultados mais maduros.

¿Qué consejo darías a una persona que está por elegir esta carrera o empezando a trabajar en ella?
Você deve pensar que irá trabalhar muito, como em todas as profissões criativas. Procure uma universidade séria para estudar e aproveite tudo o que conseguir durante a sua formação, todas as oportunidades de desenvolver seus conhecimentos, habilidades e atitudes. Um designer se forma com muita pesquisa e estudo, treinamento e experimentação, responsabilidade e proatividade. Deve escolher o design porque acredita que será feliz estudando e trabalhando na área. Alunos com baixa motivação nas atividades acadêmicas frequentemente viram profissionais frustrados e insatisfeitos, o que gera um ciclo sem uma saída óbvia… Se você se dedicar, conseguirá manter sua energia em movimento, conseguirá aproveitar e criar oportunidades, criará uma rede de contatos que lhe ajudarão a prosseguir e crescer.

Los 5 libros importantes que todo diseñador debe leer:
Vou direcionar essas indicações para a área de tipografia e caligrafia.

  • Elementos do estilo tipográfico – Robert Bringhurst
  • Caligrafia – Claude Mediavilla
  • Escritas: espelho dos homens e da sociedade – Ladislas Mandel
  • O Traço: teoria da escrita – Gerrit Noordzij
  • Designing Type – Karen Cheng

Las 5 personas que todo diseñador debe conocer:

  • Hermann Zapf
  • Gui Bonsiepe
  • John Stevens
  • Gerrit Nordzij
  • Stan Lee

Los 5 preferidos músicos, álbums o canciones que escuchas mientras diseñas:

  • Cowboy Junkies
  • Johnny Cash
  • Leonard Cohen
  • Wander Wildner
  • Faith no More

Tu frase motivadora favorita es:
Na verdade não tenho nenhuma específica…

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s